quarta-feira, 11 de setembro de 2013

O Reino dos Céus

Muitos anos têm se passado e a ideia de um Reino dos Céus circunscrito a um local permanece entranhada na mente das pessoas menos esclarecidas. Grandes tribulações têm enfrentado por conta de não terem se dado o trabalho de raciocinar a respeito, pois para isso é preciso um mergulho profundo no ser e desfazer dogmas que hoje se fazem de suporte para sua vida. Todavia, se o  homem é feliz com essa visão de que o Reino dos Céus anunciado por Jesus é circunscrito a um local, por favor, fiquem com suas convicções e continuem trabalhando no bem do próximo. Se você procura uma forma diferente de entender esta grande anunciação repetida por Cristo, abra sua mente e coração para que raios de luz possam iluminar a sua alma e trazer-lhe um pouco mais de amparo e consolo.

Antes de mais nada, não é demais rememorar que o homem vive esta vida uma só vez, como disse Paulo na carta aos Hebreus. Mas, como o próprio Mestre Nazareno já havia nos dito, o homem precisa nascer de novo para ver e adentrar no Reino dos Céus. A reencarnação, porém é a fechadura para a chave deste Reino. A chave, que falaremos mais adiante, é a que nos franqueará a entrada no tão esperado e sonhado Reino dos Céus.

A Doutrina dos Espíritos, codificada pelo Mestre Lionês, Allan Kardec, é bastante clara quando nos assegura que não é possível, dada a Bondade e Justiça Divina, existir um local onde as pessoas seriam destinadas ao sofrimento eterno (inferno) nem à eterna contemplação (céu). Por isso, não nos delongaremos aqui. Recomendamos para este fim, que o leitor procure o livro do autor supracitado chamado O Céu e o Inferno, onde este e outros temas serão descortinados para o que procura uma visão bastante clara a esse respeito.

Retomando o raciocínio, a chave para o Reino dos Céus não é uma chave de fácil acesso. Todos conseguimos vê-la, mas nem todos temos ou coragem ou força para, facilmente, pegá-la e abrir o nosso caminho para o Reino dos Céus. Sócrates, quando visitava o oráculo de Delfos, entendeu quando leu escrito no templo, que o homem deve conhecer a si mesmo. Esse conhecimento é a chave. Sim! A chave para o Reino dos Céus.

Quando estamos dispostos a mergulharmos no nosso ser, encontrarmos os nossos monstros, nossas fraquezas e as imperfeições que carregamos, podemos ter duas alternativas. A primeira é a de olhar, tomar conhecimento delas e simplesmente permanecer estático, sem tomar qualquer atitude ou decisão para mudar. A outra, é aquela onde colocamos a luz sobre o alqueire e começamos a iluminar as sombras, como já dizia Carl Gustav Jung, que existe em nós.

A luz vai penetrando o nosso Ser, fazendo-nos compreender a vida de um patamar que antes não compreendíamos. Compreenderemos com ainda mais clareza quem somos nós, o que fazemos aqui, porque temos a família que hoje partilhamos o convívio, entenderemos o motivo de passarmos pelas provações que hoje passamos e, por mais paradoxal que isso possa parecer, agradeceremos a Deus por tudo! Compreenderemos que o Bem é a ferramenta motriz da Humanidade, que ele deve fazer parte do nosso dia-a-dia muito mais do que qualquer outra. O Amor, a Fraternidade, a Humanidade aflorará no nosso Ser, seremos pessoas mais leves, felizes, amigáveis e irradiaremos luz para os que chegam até nós, com dores, queixumes... Teremos a oportunidade de dar uma palavra amiga e realizarmos a mais nobre Caridade, que é Caridade Moral.

Entenderemos então, que mesmo vivendo em um mundo de expiações e provas, que a Felicidade, com "F" maiúsculo, está presente na nossa vida, apesar de tudo o que nos ocorre, e renderemos Glórias a Deus porque conseguimos entrar no Reino dos Céus! Seremos então como as Garças, que apesar de andarem em lodaçais, seus pés ficam sujos, mais suas penas, essas ficam alvas e brilhantes, como o raio do sol.

O Reino dos Céus não é deste mundo, já dizia o Mestre, porque não está circunscrito aqui ou acolá. Ele está dentro de cada um de nós, como relatou Tomé em seu Evangelho, considerado apócrifo. O Reino dos Céus é uma condição, não um local. E a cada vida que nós vivemos, mais luz vamos trazendo às nossas sombras, tornando-nos mais e mais felizes e penetrando ainda mais o Reino dos Céus, tão anunciado por Jesus e desejado por todos nós.

Caro amigo, o que você tem feito para alcançar o Reino dos Céus na sua vida?

Muita Paz!