terça-feira, 3 de agosto de 2010

Antes só do que mal acompanhar...

Nas reuniões públicas que freqüento no Centro Espírita Seara Fraterna, tem um expositor amigo meu, que sempre, em suas palestras que tocam o assunto relacionamento a dois, faz uma indagação à audiência, falando capciosamente, antes só... e ouve-se em uníssono todos dizerem ...do que mal acompanhado. E é curioso, porque é uma frase que já está tão intrínseca na mente das pessoas, que nunca paramos para analisar a gravidade de tal afirmação e ele sempre mostra uma nova perspectiva dizendo que antes só do que melhor acompanhar.

Atualmente, vivemos um momento em que a filosofia Socrática está em voga, ou seja, muitos estão de fato interessados em conhecerem a si mesmos, fazendo jus à afirmativa imperiosa que Sócrates leu no Oráculo de Delfos no que dizia “Homem Conhece-te a ti mesmo”. Hoje, normalmente as pessoas já não são tão egoístas quanto eram há alguns séculos, onde se não gostássemos de alguém, simplesmente relegávamos ao nada, desprezávamos e não dávamos nossa atenção, como faziam os antigos, que, por exemplo, não gostando mais de suas mulheres, abriam mão delas para se relacionarem com outras.

Atualmente, muitos livros, religiões e filosofias estão induzindo o ser humano a olharem para dentro de si. É muito forte essa nova onda que vem tocando as pessoas no que tange ao melhoramento de si próprio. Coisa que antes pairava somente no domínio das religiões e filosofia, está se vulgarizando, fazendo o ser humano enxergar a importância de se autoconhecerem.

Então, analisando a frase, antes só do que mal acompanhado, a gente pode refletir sobre se não somos nós, que muitas vezes somos a má companhia de outrem. Será que não somos nós que estamos tão arraigados nos nossos sentimentos orgulhosos e egoístas, que queremos que o mundo todo se adapte a nós?

Então, antes de proferir essa frase, pense bem se não é melhor estar só do que mal acompanhar.