sábado, 23 de janeiro de 2010

Final dos Tempos Segundo o Espiritismo

No lançamento do filme 2012 tivemos um grande burburinho com relação ao final dos tempos, graças aos efeitos especiais sensacionalistas dos ilustres cineastas holywoodianos.

Eu falei em outro post, rapidamente, que este tema - 2012 - não passa da união de um conceito de Final dos Tempos do Cristianismo e da mudança de era das Profecias Maia. Existe um documentário excelente para tratar do tema, que vou deixar o link para vocês esclarecerem sobre esse assunto.

Mas a proposta aqui não é falar sobre fim dos tempos, no sentido que é dado por muitos, mas de mostrar qual é a visão Espírita deste tema controverso a fim de esclarecer os corações aflitos.

Já falamos das três grandes revelações que a humanidade foi brindada. A primeira com Moisés, a segunda com Jesus e a Terceira com O Consolador prometido - a Doutrina Espírita. Temos em nossas mãos material suficiente para entendermos tudo o que ocorre hoje.

Jesus já falava que "os mansos herdarão a Terra" (Mateus 5:5). Este tema é pouco compreendido, visto que muitos não entendem que a Terra que Jesus fala é esta em que vivemos hoje, mas que é um céu prometido. Todavia, a Doutrina Espírita chegou em um bom momento para poder nos esclarecer. Ela nos informa, antes de tudo, que Jesus quis dizer que todos os planetas do universo são habitados, quando afirmou "Na casa do meu Pai há várias moradas" (João 14:2). De posse dessa informação, no desenrolar da leitura agradabilíssima e esclarecedora que é a da Codificação Espírita, leitura que devassa todas as trevas da razão e das emoções, os Espíritos Superiores nos informam que a Terra passa por um processo de transformação, onde mudaríamos de uma condição para outra.

No Evangelho Segundo o Espiritismo capítulo III, Alan Kardec, com seu espírito de exímio pedagogo, esclarece para nós outros de forma didática a classificação dos mundos, que transcreverei de forma sucinta a seguir:
  • Mundos Primitivos: são os mundos onde ocorrem as primeiras encarnações do espírito. São ainda inferiores à Terra tanto moral quanto intelectualmente.
  • Mundos de Provas e Expiações: onde se enquadra o nosso planeta. Ainda há predominância do mal, porém há uma certa evolução intelectual que os diferencia dos mundos primitivos, devido às suas aptidções que denotam já terem certa experiência, apesar da predominância dos vícios que nos leva a identificar uma imperfeição moral.
  • Mundos de Regeneração: intermediário entre os mundos de provas e expiação e os felizes. As almas que anseiam evolução consciente, encontram paz, uma espécie de "céu", relacionado ao anterior. Além de encontrarem elementos para contribuirem para a evolução. Nesses mundos, há ainda a sujeição à matéria, ainda experimentam as mesmas sensações, porém estão insenta das paixões desordenadas que nos escravizam. Neles não há mais orgulho que emudece o coração, inveja que o tortura e ódio que o asfixia. Contudo, ainda não existe a perfeita felicidade, mas a aurora da felicidade. Os Espíritos vinculados a eles necessitam muito evoluir, em bondade e em inteligência.

  • Mundos Felizes: são aquele onde o bem supera o mal. A matéria é menos densa, logo suas necessidadaes físicas são meno grosseiras, não há necessidade de se arrasarem penosamente pelo solo. O Espírto é mais livre, tem percepções que hoje desconhecemos. A morte não os assusta, já terem tranquilidade e consciencia sobre tudo que deve sobrevir para sua evolução. A duração da vida encarnada é maior. A infância é mais curta e menos ingênua. A autoridade é sempre respeitada, pois é são sociedades meritocratas e tudo é praticado com justiça. A lembrança das experiências corpóreas é mais precisa e as plantas e animais são mais perfeitos, qualificando em maior avanço que os da Terra.

Sabendo disso, podemos já entender que há um movimento já ocorrendo na Terra, que parece ser até "coincidência" quando olhamos outras profecias de diferentes povos, que é justamente a transição do mundo de provas e expiações para o mundo de regeneração. O Mundo não vai acabar, definitivamente!

Podemos verificar isso não só pelas palavras dos Espíritos, mas pelos diversos movimentos que vemos na Terra, em diferentes culturas e religiões, para a espiritualização do homem, pela busca do homem integral. Vemos as crianças índigo encarnando aos montes no planeta para contribuirem para o avanço da Terra, assim como em priscas eras, quando ainda muito atrasados, os exilados de capela encarnaram aqui para cotribuir para a evolução deste orbe.

Agora que já estamos esclarecidos, não precisamos temer o final de tudo. Pois tudo é uma lei natural. Certo é que haverá muita destruição - que prefiro chamar transformação - para que possamos adiantar este processo, por isso as diversas calamidades que vemos de tempos em tempos (para mais informações leia O Livro dos Espíritos, Livro Terceiro no capítulo Lei de Destruição).

Espero ter contribuído para a calma do coração de alguns, e que todos possam ter a vontade de estudar para crescermos intelecto e moralmente.

Muita Paz a Todos e aproveitem o documentário!