sábado, 3 de janeiro de 2009

Racismo? Isso não tem lógica...

De acordo com a maioria das religiões, sabemos por um não aprofundado estudo, que suas crenças são baseados no amor ao próximo e nas predições para o além-túmulo, essa é pois a base de levar-se uma vida religiosa. Garantir-se após a vida terrestre de um sofrimento, seja ele de que forma for. Seja a religião reencarnacionista ou criacionista, temos sempre a idéia de que algo nos sobrevirá após a morte. Se algo nos sobrevém após a morte, sinal é que o corpo de carne, que apodrece debaixo da terra após alguns dias, se tornará adubo e, sendo assim, o que de fato correrá no destino citado pelas religiões? Seja lá como você defina esse “algo” que perdura após a morte, eu o chamarei de Espírito por influência de minha religião – o Espiritismo.

Há muitos séculos nós, enquanto humanidade, passamos por uma série de constrangimentos por conta de uma falsa sensação de superioridade que temos sobre uns aos outros. Pensamos que podemos discriminar-nos por questões sociais, poder aquisitivo e, principalmente, como é o tema proposto por esse texto, pela cor da pele. Deixamos a falsa sensação de poder que vem com o dinheiro ou com o status subir às nossas mentes e, sem qualquer tipo de discernimento, ignoramos o fato de que todos nós viemos do mesmo local e, ao deixarmos este corpo de carne que apodrece poucos dias depois de sepultado, em nada seremos diferentes uns dos outros – Espíritos.

A pergunta que ressoa no imo da consciência é: por que discriminamos alguém? Analisando essa questão, talvez possamos chegar a um ponto comum: egoísmo. Achamos que somos melhores e por isso, devemos ter as melhores oportunidades do mundo, não nos dando o luxo de dividir com aqueles que pertencem a uma nacionalidade diferente, a outra etnia ou que tenha menos instrução que nós. Mas, por que isso? Por que sermos tão severos uns com os outros? Será que nós como Espíritos seremos julgados de acordo com as propriedades que tivemos na Terra? Seremos julgados pela cor da pele do corpo que habitamos, corpo este que serve de alimento para os bichos que habitam o solo terrestre? Nos tornaremos mais merecedores de qualquer coisa por sermos brancos, negros, amarelos? Brasileiro, Alemão, Americano ou Africano? Rico ou pobre?

Ferindo-se uma pessoa de raça diferente, o sangue a verter por acaso será de uma cor diferente senão vermelha? O coração estará localizado na barriga e o pulmão na cabeça? Não... Mas, então porque tanta discriminação? Por que julgar uma pessoa pela cor da pele? Por que julgá-la pela religião? Como entender pessoas que se julgam superiores, ignorar um semelhante como se este não fizesse parte de sua espécie? Espécie essa que evoluiu ao longo dos anos biológica e tecnologicamente, mas pouquíssimo evoluiu moralmente!

Como você pode esperar um mundo melhor enquanto pessoas iguais a você, ainda julgam pessoas retirando delas a oportunidade de se tornarem pessoas melhores? Como você quer ver um mundo melhor, se no mundinho que você se isola, não consegue enxergar o que realmente é a vida lá fora?

Antes de verter um julgamento a quem quer que seja, seja pelo que for, lembre-se de que você não tem nada diferente de qualquer outro ser que habita este planeta. Lembre-se que você se encontra exatamente nas mesmas condições de virtudes e fraquezas que qualquer outra pessoa que aqui habite. Você não é melhor nem pior, apenas semelhante.

Procure meditar nas palavras do Mestre Jesus quando disse sem sectarismo: Amai-vos uns aos outros assim como eu vos amei.