terça-feira, 20 de janeiro de 2009

O que somos de fato?

O que é você hoje? Um corpo com um Espírito ou um Espírito com um corpo? Certamente somos Espíritos em corpos, este provisório e perecível, diga-se de passagem. Ninguém duvida que um dia o corpo ao pó voltará, para os crentes nos ensinamentos espíritas, ou até mesmo espiritualistas, sabemos que o Espírito voltará a habitar o espaço, habitação original dos Espíritos, e depois voltará, conforme a necessidade, a animar um corpo para continuar a sua trajetória para a perfeição.

O que venho notando, até mesmo em minhas palavras às vezes, em preces ou em conversas sadias, é o seguinte: “Senhor, leva o meu Espírito para partilhar da Tua sabedoria com os Teus filhos, meus irmãos, já em avançado estágio da evolução enquanto eu durmo.” ou ainda “O meu Espírito irá para o céu quando eu morrer”.

Qual a inconsistência dessas afirmações? A inconsistência está em crer que a consciência – ou Espírito – é o próprio corpo. Da forma com que é articulado o pensamento, a idéia é que o Espírito irá para um lugar partilhar de idéias edificantes e o corpo, consciência pedinte, ficará dormindo, aqui está a inconsistência da afirmação. Da mesma forma a afirmação seguinte. Quem vai para o céu é o Espírito, a consciência, nós. Nós somos os pedintes, nós somos Espíritos embalados provisoriamente em um envoltório carnal para que nós, Espíritos, possamos interagir com o mundo material seguindo o nosso plano de existência.

Então, quando estivermos orando, ou mesmo conversando, temos que fazer uma pequena modificação nas nossas palavras, assim: “Senhor, leve-me para partilhar da Tua sabedoria com os Teus filhos, meus irmãos, já em avançado estágio da evolução enquanto o meu corpo repõe as energias durante o sono.” Ou “Eu irei para o céu!”