segunda-feira, 18 de fevereiro de 2008

Meu Aniversário!!!

Dizem por aí que hoje é o meu aniversário, completam-se 23 anos de existência, menos um! É menos um sim. Menos um ano que precisarei passar nessa Terra. Não! Não estou deprimido, muito pelo contrário. Estou muito feliz de estar vivendo aqui. Feliz por Deus ter me dado uma vida tranqüila, uma família ótima, um lar de paz, uma esposa maravilhosa, um bom emprego, excelentes amigos... Mas é menos um ano em que precisarei viver nesse mundo em que a ganância, o materialismo, a indiferença e a falta de amor, infelizmente – por enquanto – imperam sobre as grandes virtudes. É certo que não é a primeira nem a última vez que passo por aqui, mas o fato de estar com saúde para tirar do saquinho dos anos de vida uma pedrinha, já é uma benção de Deus.

É de a nossa cultura parabenizar as pessoas, fazendo votos de saúde, paz, prosperidade, amor, etc. Muito bom isso tudo. Receber o carinho das pessoas, dos amigos mais próximos, colegas de trabalho, familiares, etc. É bom ter amigos! Bom não! É maravilhoso!

Alguns querem me presentear “por mais um ano de vida”. Mal sabem que ter a amizade deles já é um grande presente. Ter com quem conversar, com quem posso contar nos momentos difíceis, poder até mesmo ser-lhes útil para mim é melhor ainda. O maior presente que eu poderia receber, sem dúvida, eu o recebo a cada dia. Deus, por sua infinita misericórdia, permitiu-me nascer num lar cristão, temente a Deus e pais maravilhosos. Permitiu-me crescer debaixo da Graça de Cristo, deu-me boa condição de estudo, proporcionou-me aos 16 anos o meu primeiro emprego, onde aprendi bastante, apesar das adversidades do ambiente. Casei-me aos 20, tenho uma vida maravilhosa, uma esposa excepcional.

Voltando ao lance dos presentes, posso enumerar em rápidas palavras os que venho recebendo, não só a cada 365 dias, mas todo o santo dia, desde a primeira vez que vi a luz desse mundo. Para começar, não era para eu estar aqui, pelo menos não nesse corpo que estou lhes escrevendo. Tive complicações no parto e quase morri. Aí foi o primeiro presente que Deus me deu. Hoje ando na rua, sinto a luz do sol, o vento. Estão aí mais alguns presentes. Ando na praia ouço o barulho do mar, das ondas, vejo os peixes no mar, vejo as aves do céu, o canto dos pássaros, a terra, a flor, as árvores. Que outro presente poderia eu almejar? Será que eu mereço isso tudo? Sou filho do Pai, e tudo que é do Pai também é meu! Deveria eu desejar riquezas materiais? Deveria eu desejar enriquecer deliberadamente? Deveria desejar eu estar acima dos meus irmãos em algum aspecto, enquanto tem tanta gente necessitada precisando de uma palavra amiga, uma luz para o caminho? O que eu preciso se eu tenho amigos, família, irmãos em Deus?

De toda forma, hoje é meu aniversário. Sou presenteado a cada instante com a existência. Sou presenteado a cada dia com os amigos, com a família, com a natureza, com tudo! Não preciso de mais nada. Se posso fazer um desejo antes de apagar as 23 velinhas, lá vai:

“Desejo que Deus me conceda muita Paz, Luz e Sabedoria. Que eu possa amor o próximo como a mim mesmo, possa ter tolerância e paciência para com os meus irmãos. Que Deus continue abençoando a mim, meus familiares e meus amigos e que nunca deixe que eles se vão. Que ao se ausentarem da minha presença, sintam-se melhores do que quando chegaram e eu possa sempre ser útil a causa Crística de melhorar a Humanidade, nem que seja só um pouquinho. Enfim, que Deus possa nos dar somente o necessário nos ensinando a viver a cada dia debaixo do Evangelho, amando a todos como irmãos."

Muita Paz!