segunda-feira, 3 de setembro de 2007

Qual a religião certa?

Qual a religião certa? Qual religião é o único caminho que leva à salvação? Quais os dogmas corretos? E os errados? Qual grupo, seita, clã ou denominação religiosa que tem a resposta para todas as perguntas? Não sabe? Eu sei... NENHUMA!

Por que existem algumas pessoas que insistem em pensar que as suas religiões são as únicas, absolutas, insolúveis e corretíssimas? Por que quando se opta por outra orientação religiosa elas parecem terem perdido uma guerra e tentam resgatar o “soldado ferido” a qualquer custo? Será que mudar de religião é um ato digno de morte eterna? A religião, com seus dogmas, ritos e cultos não são caminhos para salvação de ninguém. Será que isso é tão difícil de compreender?

O grande mal entendido dessa estória toda é o erro que as pessoas cometem tendo a visão míope de Deus achando que ELE é (ou deveria ser) como os homens, que é o reflexo das atitudes humanas e não o contrário. Será mesmo que ELE se importa se us vão à missa todo domingo, usam preservativo para terem relações sexuais e fazem catecismo e outros usam terno, gravata, sapatinho social, a Bíblia debaixo do braço e vão à igreja todo santo dia? Qual das duas personalidades vai pro inferno? Qual vai pro céu? O que é o Céu para um e o inferno para o outro? Até mesmo entre as doutrinas religiosas que professam a mesma fé em Cristo existem guerras, diferentes dogmas e formas diferentes de servirem a Deus. Será que pelo fato de estarem na igreja “A” e não na “B” já se tem o um pacto assinado com o diabo para irem ao inferno? Quanta ignorância seria pensar dessa forma.

Como eu já havia escrito em um post sobre a Reforma Íntima, o mais louvável aos olhos de Deus são as mudanças que você realiza no seu interior e que refletem em atitudes no exterior para com Deus e o próximo. Atitudes repletas de amor, carinho, respeito e humildade. Tais atributos que o Filho do Homem esteve o todo tempo ensinando há dois mil anos através de palavras e exemplos e, até agora, infelizmente, nem todos aprenderam ou entenderam. Será que é preciso que o Messias venha novamente?

Além de tudo, apegam-se tanto a um ou outro trecho da Bíblia e ficam querendo convencer as pessoas, de qualquer modo, de que aquele é o único caminho, que tal ou tal religião é a que vai salvar a tua alma e resolver todos os teus problemas, mas que absurdo! Esqueceram que Jesus Cristo disse para os discípulos irem às ovelhas desgarradas, sem fé, sem crença alguma e precisando da Luz. Falou-lhes para não irem aos gentios, não irem aos que já tinham o seu berço religioso formado, pois estes não o receberiam ou, sentindo necessidade de mudança, procurar-lhes-iam... Não são os que gozam de saúde que precisam de médicos. E é assim que as pessoas agem? Por que não meditar no evangelho para saber dessas coisas? Por que não refletir de alma nas palavras do Mestre e entender que o que ele queria não era formar número e sim formar corações convictos da Boa Nova? Em Mateus capítulo 10 existe um verdadeiro manual de instruções de como divulgar o Evangelho... Quer ser um trabalhador do Cristo? Leia, compreenda, faça a sua reforma íntima e pratique!

As nossas igrejas estão precisando de novos Paulos, Pedros e Luteros para ensinar-lhes que os dogmas não são absolutamente nada perante a Magnitude do Grande Arquiteto do Universo. Devemos nos preocupar menos com a forma e mais com o fundo.

Muita Paz!


Post relacionado:
O Grande Mal da Humanidade é a Religião