quarta-feira, 1 de agosto de 2007

Há várias moradas na casa do meu Pai

Independente de credo, fé ou religião, quem nunca parou para pensar se existe vida em outros planetas? Eu pelo menos, quando criança, sempre me perguntava após assistir as aulas de Ciências, quando a professora mostrava a Via Láctea com seus oito planetas: “Será que existe vida nesses planetas? Como seriam os habitantes?”. As respostas obtidas eram sempre as mesmas: “não!” ou “não sei...”.

Hoje já não sou nenhuma criança inocente com relação à imensidão do universo, tampouco um especialista no assunto. Eu cresci, e quando completei meus quinze anos concluí que tinha que existir vida nesses planetas. Não necessariamente aqueles homenzinhos verdes que eram mostrados em filmes e desenhos animados, mas algum tipo de vida que poderia ser superior ou inferior à vida da Terra.

Antes de eu conhecer a Doutrina Espírita tinha a seguinte linha de pensamento: “Se Deus criou o universo, bilhões de galáxias, trilhões de planetas, por que colocaria vida só na Terra? Faria Deus alguma coisa em vão?”. Todas as minhas respostas levavam-me a crer que existia uma espécie de vida em outros globos.

Depois que conheci a Doutrina Espírita, li sobre um assunto que fala sobre a Pluralidade dos Mundos. Lá encontrei, até hoje, a explicação mais convincente que satisfez tanto a minha razão quanto a minha fé. Hoje eu acredito e defendo a existência de vida em outras esferas sob a luz da Doutrina Espírita.

Até hoje os homens tentam buscar alguma forma de vida em outros planetas. Enviam sondas para Marte, para a Lua e nada encontram. A única imagem que reflete nos monitores de vídeo são paisagens desérticas e uma ponta de frustração. Eles devem pensar que a vida que existe na Terra é a mesma que deveria povoar outros planetas. A mesma estrutura biológica, as mesmas necessidades, estrutura organizacional, etc. Os cientistas não levam em consideração a existência do Espírito e que a vida deste é independente da matéria.

Talvez você, caro leitor, pode estar se perguntando: “Como esse louco pode ter tanta certeza disso?”. Simples, eu acredito na verdadeira vida, a espiritual! Além disso, acredito na possibilidade de comunicação com os espíritos que estão livres do invólucro material. Tantas comunicações sérias foram obtidas nos encorajando praticar a caridade a fim de obtermos a vida num mundo melhor. Inclusive no Livro dos Espíritos temos uma passagem interessante falando da comunicação de um habitante de Júpiter. Ele nos conscientiza que a evolução de Júpiter é tamanha que uma criança de, salvo engano, nove anos tem a mesma intelectualidade de um homem de trinta anos daqui da Terra. Como duvidar? “Na casa de meu Pai há várias moradas!”

Vou mais adiante e você pode até me chamar de louco! Nós mesmos podemos estar incumbidos de missões em esferas menos evoluídas que a Terra para apregoar o amor por lá. Por que o amor? Porque fora da caridade não há salvação! E para os nossos irmãos sofredores essa é a luz que eles precisam para saírem daquela condição e virem para o céu relativo às suas moradas: a Terra.

Mas como poderia isso? Ah... Essa é uma questão muito interessante. Embasados na Doutrina Espírita, temos a instrução dos Espíritos que apesar do tormento de estarmos presos nesse envoltório material, privados de exercer todas as faculdades de Espíritos que somos, Deus nos permite, durante o repouso da carne (o sono), que saiamos e retomemos a vida espiritual (emancipação da alma). Vamos ter com amigos, parentes, familiares, etc. Muitos têm missões que podem ser ir até esses planos menos elevados e evangelizar os espíritos por lá.

“Mas como pode? Eles não são menos evoluídos que nós? Certamente a questão da mediunidade pode ser mais limitada do que aqui na Terra e talvez eles não podem estabelecer comunicação com outros Espíritos!”. Bom, isso eu não sei, mas como os próprios Espíritos dizem: “Nós somos mais influenciados pelos amigos espirituais do que imaginamos”. Seja em estado de vigília, seja durante o sono. Muitas vezes podemos estar em comunicação puramente espiritual com os Espíritos dessas esferas para ajudarem-nos a seguir o bom caminho a fim de alcançarem a salvação. Assim como acontece com a gente aqui! Mas vale ressaltar que nem todos os Espíritos “encarnados” nesses orbes são espíritos imperfeitos e impuros, não! Às vezes são Espíritos com missões de evangelizarem, mostrarem o “primeiro passo” para alcançarem a salvação e irem para um mundo melhor, como também acontece aqui na Terra!

Infelizmente com a nossa Ciência Materialista, que carecem de provas tangíveis para afirmarem algo como verdadeiro, não podemos provar isso. Quem sabe com o advento da Física Quântica, que já se desenvolve há um século, não possamos passar a estudar o intangível e o invisível a fim de provar coisas que há tempos foram mantidas como insanas pelos cientistas?

Muita Paz a Todos!