domingo, 8 de julho de 2007

Anjos: Seres a parte da criação?

Os anjos estão presentes em diversas crenças, principalmente no protestantismo e no catolicismo onde exercem um papel fundamental. Para estes, os anjos são seres perfeitos, puros e trabalham em prol da vontade divina. Que são perfeitos e trabalham para o Grande Arquiteto do Universo, não há dúvida, mas será que eles sempre foram perfeitos desde a fundação do mundo?

Crer que os anjos são e sempre foram seres perfeitos é acreditar que Deus tem predileção entre seus filhos. Como Deus é justo, certamente ele não tem preferência por ninguém, mas ama a todos igualmente. Todos são seus filhos e fomos criados com o mesmo objetivo: evoluir rumo à perfeição.

Os anjos nada mais são que espíritos que caminharam na escalada evolutiva antes de nós, que optaram por andarem em um caminho reto e, finalmente, alcançaram o objetivo do Grande Deus. Os anjos são espíritos (em essência) iguais a nós, porém com um avanço intelectual e moral muito maior do que o nosso.

Por que os anjos não sofrem aqui na Terra? Para essa pergunta a resposta é simples. Ou eles já eram evoluídos no momento da criação do mundo ou já percorreram a estrada da evolução antes de nós. Por isso, o sofrimento deles consistem unicamente em nos ajudar a caminhar no mesmo caminho que eles caminharam um dia. Sofrem cada vez que nos desviamos do caminho e ficam felizes a cada degrau que subimos nessa escada tão longa. Então, de certa forma, eles ainda sofrem conosco. E muito!

Para a teoria puramente Criacionista os anjos são seres que optaram por não se infectarem com a maldade do Lúcifer, anjo que seria responsável pela queda de terça parte dos anjos do céu por querer passar a frente de Deus. Porém, para essa teoria eu tenho alguns argumentos que creio serem suficientes para provar que o sentido dado a essa alegoria não está correta.

Para Deus, existem diversos atributos, onde um deles é ser Onisciente. Ser Onicisciente é o mesmo que dizer que é único sabedor de todas as coisas. Além de ser atemporal, ou seja, um Ser que não tem as limitações do tempo. Juntando a Onisciência com a Atemporalidade, podemos prever com total certeza o que o futuro nos reserva. Com tais atributos saberíamos de antemão que ao criarmos um ser, saberíamos toda a vida dele, toda a estrada que ele percorreria, decisões, de todo o seu futuro. Logo Deus sabia que o tal Lúcifer iria se rebelar contra ele. E mais, que levaria parte do Seu rebanho para a inferioridade do homem. Por que então criariar-se-ia um ser que arrebanharia para o mal os Seus filhos? Seria o mesmo que um pai criar um leão no quintal de casa com seus filhos. E a Onisciência? E a Atemporalidade? Onde ficam? E os que foram fracos e influenciados para o mal, seriam jogados no inferno de chama de fogo ardente para arderem eternamente? Deus por acaso é um homem tomado pela vingança igual a nós, seres terráqueos?

Pensarmos que somos anjos caídos não está condizente com os atributos de Deus. A interpretação dada à Palavra de Deus já levantou guerras e guerras, já enganou muita gente e levou bastante gente pra fogueira. Isso por não usarem da razão para avaliarem o que realmente estaria escrito nas entrelinhas. Razão esta que é um presente que Deus nos deu para diferenciarmos o que é certo do que é errado.

Digo ainda que Deus nos criou simples e ignorantes, sem qualquer resquício de maldade ou bondade. Fomos criados sua forma e semelhança (em espírito) e começamos a caminhar na estrada da evolução. De acordo com o livre-arbítrio que Ele nos concedeu, fizemos as nossas escolhas, tanto para o bem quanto para o mal. E hoje estamos aqui. Se sofremos, é único e exclusivamente por nosso merecimento pois, em algum tempo de nossa existência fizemos as escolhas erradas e estamos aqui para corrigí-las e chegarmos ao status de anjo em algum dia da eternidade.

Muita Paz!