sexta-feira, 6 de abril de 2007

A crítica como uma ferramenta para a evolução

Participo ativamente de uma comunidade do Orkut onde sempre procuro colocar meus pensamentos para os amigos de lá também. Em um dos tópicos, uma pessoa levantou um tema que julguei muito interessante e pretendo discorrer sobre ele aqui e agora - a crítica.

A crítica é difícil de ser aceitada, principalmente quando somos pessoas orgulhosas e intransigentes. Se alguém nos critica, sendo a crítica construtiva ou não, haverá sempre uma razão para tal, ninguém critica outra pessoa sem fundamento ou sem ter uma razão. Havendo uma crítica a nosso respeito, temos que colocar as "sandálias da humildade", lançar um olhar introspectivo e ver o motivo gerador da crítica procurando melhorarmos nossas possíveis falhas.

Quando criticados, principalmente por pessoas que não nos são simpáticas, tendemos a ignorar e continuar no erro tornando-nos pessoas orgulhosas e intransigentes. Isso se dá pela falta de humildade e falta de amor que nosso Senhor Jesus apregoou para nós há alguns milenios, "batendo em uma de suas faces, vire-lhe a outra". Não basta falarmos dos feitos de Cristo, temos que pô-los em prática.

Também temos a crítica que nos são feitas por pessoas que amamos. Amigos, colegas de trabalho, parentes. Essas críticas tendemos, normalmente, a avaliar visto que temos a preocupação de sermos agradáveis a estas pessoas. Mas como disse Jesus: "devemos amar nossos inimigos". Essa é a chave da evolução, uma instrução para a lei do progresso. Isso nos fará diferente da maioria das pessoas que não buscam o reino dos céus.

Em contrapartida há um outro lado do prisma que deve ser abordado. Nem sempre somos criticados, também criticamos - e muito! Pessoalmente, essa é a minha melhor estratégia de evolução. No âmbito psicológico, todas as críticas que fazemos a outra pessoa, há uma grande probabilidade de estarmos apontando no outro o reflexo de nossas atitudes e/ou personalidade. Agora é a parte mais difícil, usar da sua própria crítica para ajudar a você mesmo. Como diz a Palavra de Deus: "Como podes tirar o argueiro do olho do teu irmão se no teu tem uma trave?".

Não quero dizer que nunca devemos criticar outra pessoa, pelo contrário, devemos lançar criticar com uma boa dose de entendimento pois estaremos ajudando-as a evoluir também. Mas antes de fazê-lo, avaliemos, olhemos para o nosso mais profundo Ser e constate não sermos alvo de nossa própria crítica inconscientemente.

Nascer, crescer, morrer, renascer ainda e progredir sempre.

Que Deus ilumine nosso entendimento.