sexta-feira, 13 de abril de 2007

Comunicação com os Espíritos


Quem nunca viu o filme "Ghost, do outro lado da vida"? Aquele homem que depois de morto (apesar de vivo) tenta comunicar-se com uma mulher que ele amava e o consegue através da Woopy Goldberg, será que é um fato verídico ou é mais uma das fantasias de Hollywood? Tá bom... Claro que tem algumas fantasias lá, até porque o intuito do autor do filme foi ganhar dinheiro, mas eu vou mostrar que não tem nada de fantasioso no fenômeno de comunicar-se com os Espíritos! Vamos lá?

Não adiantaria de nada me delongar por diversas linhas falando das maravilhas do plano espiritual e das comunicações com os nossos irmãos desencarnados, se você não acreditar que há uma alma dentro do seu corpo. Alma esta que é o princípio intelignete, consciente do bem e do mal, que armazena a sua memória que detém o conhecimento adquirido nos tempos e usufrui do livre-arbítrio. Convencido disso, há a possiblidade de entendermos a comunicação com os Espíritos. Caso contrário, não passará de uma leitura chata, monótona e sem sal.

Vamos convencionar aqui que o Espírito é a alma fora do corpo, ou seja, a alma livre da matéria. A alma livre após o padecimento do corpo material (terreno).

Nos meandros deste assunto, existem algumas discussões que são muito interessantes, mas que eu não tratarei aqui. Então, caso você gostaria de ter aqui registrado algum dos temas desse assunto, deixe seu comentário, ok?

No momento do desencarne, o Espírito toma consciência de que o corpo padeceu, dependendo do grau de evolução, poucos instantes após o fato. Como disse, dependendo do grau de evolução do Espírito, ele olhará seu corpo, verá que morreu e seguirá o caminho que lhe pertence; Ir diretamente para o Plano Espiritual também depende de uma condição, a elevação do Espírito. Quando o Espírito desencarna, não nota nenhuma diferença com relação às suas aptidões. Continua ouvindo, vendo, sentindo... Mas há um impedimento muito grande de comunicar-se diretamente com qualquer pessoa, visto que o corpo que o Espírito é envolvido - o perispírito - possui uma sutiliza tamanha com relação ao nosso corpo grosseiro que não há a possibilidade de comunicação direta, salvo alguns casos, que falarei abaixo.

Para entender como se dá a comunicação com os Espíritos, é necessário que se conheça o papel de um intermediário entre os Espíritos e os humanos. Esse intermediário, dado o sentido da palavra como no dicionário, chama-se Médium. O médium tem faculdades orgânicas e espirituais que possibilitam a comunicação com os Espíritos de várias formas. O Espírito conhecendo um médium verá que este poderá lhe ser útil para fazer a comunicação devida.

Muitas vezes os Espíritos podem nos dar bons conselhos, previsões de coisas que possam acontecer, nos ditar poemas, cartas, dar-nos a incumbência de levar uma mensagem a alguém, ou até mesmo brincar com nossa cara, além de nos induzir ao mal. Como falei acima, o Espírito continua consciente de tudo, conforme quando encarnado, a única diferença é que não há mais as limitações do corpo humano, portanto se uma pessoa era muito má, provavelmente continuará fazendo maldade, se fosse muito boa, continuará muito boa, se fosse leviana ou zombeiteira, continuaria da mesma forma. Essas comunicações podem ser frutíferas quando obtemos dela mensagens que respondem as mais altas questões filosófico-científico-religiosas, consolo para famílias ou até mesmo ajuda pessoal, mas infrutíferas quando o médium desprovido de um conhecimento espiritual, permitem-se ser usados por Espíritos maus. Geralmente quando para somente satisfazer pessoas que nada mais querem do que satisfazerem a sua curiosidade são surpreendidas por Espíritos levianos e zombeteiros.
Há em algumas doutrinas, incluindo a evangélica da qual nasci e cresci sob influência, que só acreditam que todos os Espíritos que se comunicam com os homens encarnados, são Espíritos do mal. Eu tenho um ponto de vista muito pessoal e particular com relação a essa tese. Na verdade, apesar de fazer parte do meio há mais de 20 anos, nunca concordei com isso. Então, eu tenho uma única questão que desbanca essa falsa assertiva. "Você sendo pai, colocaria dentro do seu lar uma cobra para ser criada junto de sua criança?" - Você não precisa responder articuldamente, mas como eu sei que sua resposta é a mesma que a minha, lá vai um dos trechos mais belos da Bíblia: "Se Deus sabe ofertar boas coisas aos filhos, quanto mais o Pai que está nos Céus!"

Então haveremos de combinar que há os Espíritos maus que se manifestam em diversas seitas religiosas com o intuito de fazer o mal, mas também há os Espíritos bons, os que se comunicam conosco para nos dar orientações para melhor servir a Deus, melhor seguir o Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo. Os anjos, nada mais são que Espíritos que alcançaram um altíssimo grau de evolução! Até porque se só existissem Espíritos maus (cobras), seria injustiça da parde do Pai deixarmos sendo influenciados a todo instante por forças malígnas e não deixar forças beníginas para contra-balançar. Crendo que só existam maus Espíritos, é negar um dos atributos mais exclamados de Deus - a Justiça.

Além disso, poderemos ler na Bíblia diversos pontos onde há a comunicação com Espíritos. Lendo com atenção, veremos desde o Antigo até o Novo Testamento. Vamos a uma delas:

I João capítulo 4 versos 1 a 3:
"Amados, não creiais a todo espírito, mas provai se os espíritos vêm de Deus; porque muitos falsos profetas têm saído pelo mundo. Nisto conheceis o Espírito de Deus: todo espírito que confessa que Jesus Cristo veio em carne é de Deus; e todo espírito que não confessa a Jesus não é de Deus; mas é o espírito do anticristo, a respeito do qual tendes ouvido que havia de vir; e agora já está no mundo."

Até a próxima!